Curiosidades

14 curiosidades sobre a comunidade Amish

Os Amish são um dos grupos minoritários religiosos mais conhecidos do mundo. Reconhecidos por seus estilos de vida tradicionais, eles levam uma vida muito simples, concentrada na cultura e no artesanato, enquanto adoram a Deus com base em tradições de séculos detrás.

A maioria das comunidades Amish se encontram na Pensilvânia. Esses grupos são compostos por descendentes de alemães e suíços que migraram para os Estados Unidos e Canadá.

Apesar de algumas mudanças modernas (aceitas por somente algumas seitas), uma vez que casas com sanitários internos e um telefone para a comunidade, os Amish fizeram um trabalho notável mantendo suas formas tradicionais.

1. Eles surgiram de uma ruptura com outro grupo

A formação dos Amish aconteceu por razão de uma dissidência de um grupo de menonitas, por volta de 1690. O termo “Amish” é derivado do nome de Jakob Ammann, que foi um líder suíço do grupo menonita da igreja Anabatista.

Ele defendia fortemente uma tradução literal da Bíblia e suas ideias causaram uma ruptura da igreja Anabatista tradicional. Os seguidores que se juntaram a ele ficaram conhecidos uma vez que Amish.

2. Os Amish são anabatistas

O anabatismo pertence a uma lado radical do protestantismo, espargido por sua oposição e recusa em batizar um bebê. Os anabatistas acreditam que o batismo só deve ser feito quando alguém pode revelar a sua fé de bom grado.

3. Eles precisam de permissão para matrimoniar

O batismo na fé Amish acontece com maior frequência entre 18 e 22 anos. Até que isso aconteça, a pessoa não tem permissão para se matrimoniar e quando se matrimoniar, deve ser com qualquer outro membro da igreja.

4. Eles não usam eletricidade e máquinas modernas

Carruagem amish

Em 1919, os líderes Amish concordaram que o uso da eletricidade não seria deveria ser adotada na comunidade Amish. Mas eles não tomaram essa decisão porque achavam que a eletricidade era um pouco ruim, e sim porque ter um fácil entrada a ela poderia levar a muitas tentações e à deterioração da vida tradicional, da igreja e da família.

Os Amish valorizam a simplicidade e a desamor sobre o conforto, conveniência e lazer. Seu estilo de vida é uma maneira deliberada de se separar do mundo e manter a auto-suficiência.

5. Eles têm vestimentas típicas

Mulheres amish

As mulheres e meninas usam vestidos modestos com mangas compridas e uma saia longa. Elas nunca usam joias e acessórios! Em suas cabeças, usam uma cobertura de reza: branca se forem casadas e preta se estiverem solteiras.

Homem amish

Os homens e meninos também usam trajes de cor escura, casacos retos, calças largas, suspensórios, meias e sapatos pretos. Na cabeça, costumar usar chapéus pretos ou de palha. Apesar de não usarem bigode, em seguida casarem os homens passam a cultivar uma grande barba.

Os Amish sentem que essas roupas distintas encorajam a humildade e a separação do mundo. Sua roupa não é uma fantasia, mas sim uma frase de fé.

6. Eles falam em um dialeto próprio

Em suas casas e em conversas entre si, a Antiga Ordem Amish fala um dialeto germânico próprio, espargido uma vez que “Teutónico da Pensilvânia”. Entendemos que é semelhante ao “Platt”, um dialeto falado em partes do setentrião da Alemanha.

Quando as crianças Amish vão à escola, elas aprendem inglês. Em seus serviços de culto, os sermões são dados em germânico, e a a língua alemã também é ensinada nas escolas Amish.

7. Suas bonecas não têm rostos

Bonecas
Tradicionais bonecas sem rosto dos Amish

Os Amish conservaram o velho prática das bonecas de tecido e sem rosto. O motivo está vinculado ao segundo mandamento (Êxodo 20: 4-6).

Em uma idade precoce, as crianças devem aprender a não fabricar imagens, semelhanças e ídolos. Eles também consideram que as bonecas sem rosto impedem o orgulho e a vaidade.

8. Zero de músicas

Semelhantes às razões para ter bonecas sem rosto, os Amish não tocam instrumentos musicais, alegando que eles são um método de auto-expressão que encorajaria orgulho e o sentimento de superioridade.

9. Eles tem período livre chamado “Rumspringa”

Quando os jovens de uma família Amish completam 16 anos, eles entram em um período de tempo restringido chamado Rumspringa. Durante esse período, o jovem tem permissão para trespassar e fazer coisas que são normalmente proibidas pela comunidade Amish.

Alguns vão para o cinema ou pedem para aprender a encaminhar. Alguns saem para consumir drogas e álcool.

Ao final do período, o jovem escolhe se vai retornar a comunidade e seguir os costumes e tradições dos Amish. O número de retorno dos jovens ao final do Rumspringa costuma ser muito basta, variando em 80% a 90%.

10. A mulher ainda mantêm seu papel tradicional

Uma mulher Amish é principalmente uma dona de lar, assumindo um papel de gênero muito velho na comunidade, que inclui cozinhar, governar a lar e ajudar os vizinhos. Em público, uma mulher Amish geralmente seguirá a liderança do marido.

11. A conversão para a fé Amish é muito complicada

Para quem quer se juntar aos Amish, o processo é muito rigoroso. É preciso aprender o dialeto Teutónico da Pensilvânia falado por eles e principalmente: é preciso deixar para trás os vínculos familiares e os luxos modernos que contrastam com a sociedade Amish.

A pessoa convertida se junta a uma família Amish para se adequar ao lar e ao estilo de vida. Depois um período de aclimatação, a vocábulo final é dada por uma votação da igreja para consentir o novo convertido.

12. Eles constroem celeiros de forma coletiva

Celeiro
A construção coletiva de celeiros acontece até hoje

A construção de celeiros refere-se à ação coletiva de uma comunidade, na qual todos os membros ajudam a edificar ou reconstruir um celeiro. Essa tradição representa o planejamento, a organização e o trabalho manual dessa comunidade.

O levantamento de celeiros continua sendo feito hoje em dia em algumas comunidades Menonitas e Amish da Ordem Antiga, mormente na Pensilvânia, Ohio, Indiana e algumas áreas do Canadá.

Historicamente, essa tradição foi praticada em toda a América do Setentrião rústico nos séculos 18 e 19, período no qual um celeiro era uma estrutura vital para os agricultores.

Enquanto os celeiros eram vitais, eles também eram caros e muitas vezes requeriam mais trabalho do que uma família poderia mourejar. Nesse caso, a comunidade se juntaria para ajudar a edificar os celeiros dos vizinhos.

Na maioria dos casos, a participação na geração de celeiros é obrigatória para todos os membros da comunidade e os ajudantes não são pagos. Porém, esse obséquio era feito a todos os membros da comunidade.

13. Visitas às comunidades nem sempre são permitidas

Algumas comunidades permitem a ingresso de visitantes, mas só se for previamente autorizado por todos os membros da igreja. Nas ordens mais antigas e tradicionais a visitante de pessoas externas é estritamente proíbida.

14. Existe comunidade Amish no Brasil?

As igrejas Anabatistas do Brasil não são Amish. No sul do país podemos encontrar algumas comunidades que levam um estilo de vida parecido com os Amish dos Estados Unidos e Canadá. No entanto, não há registro de nenhuma ordem solene Amish no Brasil.

Gostou desse teor? Portanto com certeza vai gostar destes também:

Veja 10 curiosidades sobre os judeus ortodoxos

Roanoke: o que se sabe sobre a misteriosa colônia que desapareceu no EUA

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo