VidaPet

81,5 mil doses da AstraZeneca e 5,8 mil da Pfizer chegam nesta 2ª

O Distrito Federal recebeu, na manhã desta segunda-feira (3/5), um novo lote de vacinas da AstraZeneca, com 81.500 doses. A remessa foi transportada em voo da Latam, que saiu de Guarulhos e desembarcou em Brasília às 8h16.

O transporte de vacinas pela companhia aérea faz parte do programa Avião Solidário. Desde 18 de janeiro, o programa movimentou gratuitamente para os 27 estados brasileiros um total de 28,3 milhões de doses dos imunizantes a bordo de 281 voos.

Com a chegada deste novo lote, o DF iniciará a imunização do público com comorbidades. A partir das 9h desta segunda, a Secretaria de Saúde abre 10 mil vagas para agendamento da imunização contra Covid-19 para o primeiro grupo.

Por meio do site vacina.saude.df.gov.br, pessoas com síndrome de Down, com deficiência cadastradas no Benefício de Prestação Continuada (BPC), pacientes que fazem terapia renal substitutiva (hemodiálise) e gestantes com comorbidades poderão agendar o recebimento da primeira dose do imunobiológico.

0

Vacinas da Pfizer

De acordo com a Secretaria de Saúde do DF, a capital também recebe, nesta manhã, 5.850 doses da Pfizer. “A previsão é que as vacinas estejam na Rede de Frio até 10h”, informou a pasta.

De acordo com a SES-DF, a Rede de Frio Central tem um ultracongelador com 570 litros de capacidade, que comporta até 40 mil doses e chega a -80°C de temperatura. Além desse espaço para armazenar os imunizantes da Pfizer, a capital contará com freezers da Universidade de Brasília (UnB).

A UnB colocou à disposição da pasta cinco equipamentos semelhantes. De acordo com a universidade, os ultracongeladores suportam temperaturas entre -60°C e -80°C, “adequadas para armazenar vacinas como as da Pfizer”. Cada um é capaz de armazenar, aproximadamente, 40 mil doses.

Dessa forma, o DF tem capacidade de guardar cerca de 240 mil doses da Pfizer. O prazo de validade desse imunizante armazenado a -75ºC é de seis meses.

Congeladores

De acordo com o Ministério da Saúde, as vacinas da Pfizer serão entregues às unidades da Federação armazenadas entre -25°C e -15°C — as doses podem ser mantidas nessa faixa de temperatura por até 14 dias. Algumas unidades da rede de frio do país, porém, não têm congeladores capazes de guardar os imunizantes nestas temperaturas, mas entre 2°C e 8°C. Nesses casos de locais que contam com freezers mais comuns, o ministério diz que a aplicação na população deve ocorrer em até cinco dias.

Devido ao curto espaço de tempo, então, o órgão está orientando, para essa primeira remessa, que a vacinação com as doses da Pfizer fique restrita às 27 capitais do país, que contam com congeladores mais adaptados.

Também devido à refrigeração especial, a distribuição desse lote inicial será feita em duas etapas: primeiramente, estão sendo enviadas aos estados e ao Distrito Federal as vacinas destinadas para a primeira dose (500 mil). O restante ficará guardado no Centro de Distribuição do Ministério da Saúde, em Guarulhos, a -25°C. Uma semana depois, as unidades federativas receberão os lotes para segunda dose (500 mil restantes). No caso da vacina da Pfizer, o intervalo entre a primeira e a segunda aplicação é de 21 dias.

A recomendação é de que os gestores locais concentrem a aplicação dessas doses, preferencialmente, em unidades de saúde que contem com câmaras refrigeradas cadastradas na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), com sistema de segurança que alerta em caso de problemas, como falta de energia elétrica, por exemplo.

0

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo