Curiosidades

Finalmente, a centopeia (lacraia) é venenosa?

Sim, a centopeia ou lacraia é venenosa! Sua picada é muito dolorosa e libera uma substância que é tóxica para os seres humanos. Geralmente, a picada da centopeia pretexto vermelhidão, dor e inchaço. Em casos mais graves, o intoxicação pode provocar calafrios, febre e até a necrose da extensão picada. Por isso, caso veja uma centopeia por aí, não tente pegá-la com as mãos.

A seriedade da picada depende de alguns fatores, uma vez que a espécie da lacraia, o número de picadas e a sensibilidade da vítima. Na esmagadora maioria dos casos, zero de sério acontece com uma pessoa picada por uma centopeia e os sintomas desaparecem em algumas horas ou dias.

Há unicamente um caso confirmado de morte posteriormente picada de lacraia em toda literatura médica: uma moçoila filipina de sete anos, picada na cabeça por uma lacraia do gênero Scolopendra.

Centopeia
Imagem de uma “centopeia tigre” (Scolopendra polymorpha), encontrada nos EUA e no México.

O que é a centopeia?

Centopeia, também conhecida uma vez que lacraia, é um bicho que possui um corpo extenso e achatado, dividido em numerosos segmentos (de 15 a 191), cada qual dotado de um par de patas. Há muro de 3300 espécies de centopeias descritas. Seu tamanho varia de 3 a 26 centímetros.

Mas o que mais labareda a atenção nas centopeias é seu grande número de patas. Daí seu nome popular: centopeia (do latim centipeda, “século pés”). Mas será que a centopeia tem mesmo 100 pés?

Quantas pernas tem a centopeia?

Centopeias não têm exatamente 100 pés. Na verdade, o número varia de tratado com a espécie e com o número de segmentos do bicho. Porquê já dissemos, há centopeias com 15 e há centopeias com 191 anéis. Se cada aro tem um par de patas, o número de “pernas” de uma centopeia pode variar de 30 a 382.

Do que se alimenta?

Centopeias são animais predadores e carnívoros. Suas presas preferidas são bichinhos: larvas de besouros, insetos, minhocas e vermes. Espécies maiores, uma vez que a Scolopendra gigantea, chegam a caçar lagartos, sapos, morcegos, pássaros e ratos.

Centopeias locomovem-se com muita desembaraço e não costumam dar muitas chances para suas presas. Quando elas encontram uma vítima, põem em ação suas garras de veneno (chamadas forcípulas). A inoculação do veneno deixa a presa atordoada e imóvel. Depois disso, as lacraias se enrolam em suas vítimas. A ingestão se dá por meio de suas mandíbulas, com as quais elas sugam todo o maná.

Onde vive?

centopeia
Lacraias costumam viver sob troncos, pedras e entulhos.

Diferentes espécies de lacraias se distribuem por todos os lugares do mundo, inclusive no Brasil. Por cá, há muro de 145 espécies, sendo 10 delas mormente perigosas, uma vez que a Scolopendra viridicornis e a Scolopendra subspinipes.

Centopeias vivem em ambientes úmidos, sendo encontradas geralmente sob folhas, entulhos, vasos, cascas de árvores e pedras. Se o envolvente for úmido e escuro, as lacraias adoram!

Elas também podem ser encontradas dentro de lar. Aliás, é dentro de lar onde ocorre a maioria dos acidentes envolvendo lacraias, que podem se esconder sob as roupas e até mesmo debaixo dos lençóis da leito. Um encontro uma vez que esse, além de não ser zero aprazível, pode ser bastante doloroso!

Mas por mais assustadores que sejam esses bichinhos, eles têm uma influência ecológica que não pode ser desconsiderada. Porquê predadoras, as centopeias ajudam a regular a população de insetos, por exemplo. Sabe a baratinha que às vezes aparece em lar? Ela é maná das centopeias.

Scolopendra subspinipes
Imagem de uma Scolopendra subspinipes, que é venenosa e pode ser encontrada no Brasil.

Classificação científica da centopeia e a diferença entre quilópodes e diplópodes

Centopeias são quilópodes que pertencem ao filo dos artrópodes. Calma, já vamos explicar o que isso significa:

  • Artrópodes são animais invertebrados (ou seja, não desenvolvem poste vertebral) e possuem esqueleto extrínseco (chamado de exoesqueleto). Insetos, por exemplo, são artrópodes. Mas a centopeia não é um inseto. Porquê já dissemos, ela é um quilópode.
  • Quilópodes são animais que pertencem ao subfilo dos miriápodes, ao qual também pertencem os piolhos de ofídio (diplópodes). Miriápodes são animaizinhos que têm um grande número de pernas. Além da cabeça, possuem um tronco prolongado.
  • A diferença básica entre os quilópodes (centopeias) e diplópodes (piolhos de ofídio) é que os diplópodes, uma vez que o próprio nome sugere, possui dois pares de patas em cada aro do seu corpo. Ao passo que os quilópodes só possuem um par de patas. Ou por outra, piolhos de ofídio não picam.

Quer saber mais? Leia: Piolho de ofídio: tire todas as suas dúvidas sobre esse estranho bicho

Alguns tipos de centopeias

Centopeia doméstica

Scutigera Coleoptrata
De perto, as centopeias domésticas, apesar de serem praticamente inofensivas, têm um vista tremendo.

Conhecidas uma vez que centopeias domésticas, as centopeias da espécie Scutigera Coleoptrata é nativa da região do Mediterrâneo mas pode ser encontrada em diversas regiões do mundo, com preferência pelos climas mais temperados. Seu nome popular já indica que esses animaizinhos geralmente são encontrados dentro de lar.

Por pretexto da umidade, as centopeias domésticas preferem viver nos banheiros. São muito ágeis e têm entre 1 e 6 cm de comprimento. Caso se sintam ameaçadas, podem pungir, embora esses pequenos animais sejam muito menos agressivos do que as centopeias do gênero Scolopendra.

Centopeia gigante

Scolopendra gigantea
A Scolopendra gigantea é a maior espécie de centopeia que existe.

A Scolopendra gigantea é a maior espécie de centopeia que existe. Também conhecida uma vez que centopeia gigante peruana, ela pode ser encontrada em florestas tropicais no setentrião da América do Sul, em países uma vez que Brasil, Peru e Venezuela. Dizem que um tipo dessa espécie pode chegar a 30 cm de comprimento. O maior já encontrado, e que figura no Guinness, tinha espantosos 26 cm!

Além de grandes, essas lacraias são muito agressivas, e seu veneno pode promover problemas mais sérios aos seres humanos. Indivíduos dessa espécie são capazes de consumir animais uma vez que morcegos e rãs. Na Venezuela, lacraias gigantes foram vistas caçando morcegos nos tetos das cavernas!

Centopeia gigante da Amazônia

Tal uma vez que outras lacraias do gênero Scolopendra, a centopeia gigante da Amazônia (Scolopendra viridicornis) é conhecida por sua agressividade e pelo seu tamanho. É a espécie mais geral no Brasil. Um tipo dessa espécie pode atingir mais de 10 cm de comprimento.

Em 1946, um biólogo teuto em 1946 fez experimentos para explorar o comportamento de uma centopeia gigante brasileira. Para isso, colocou centopeias no mesmo espaço de camundongos. Elas agarravam-se aos camundongos por muro de cinco minutos, ao longo dos quais desferiam várias picadas, inoculando uma grande quantidade de veneno.

O pesquisador notou que, apesar das picadas produzirem edemas pequenos, o veneno afetava o sistema nervoso medial dos camundongos, que morriam em decorrência de paradas respiratórias.

O que fazer em caso de acidente?

Apesar do veneno da lacraia ser pouco tóxico para os seres humanos, sua picada é muito dolorida e pode promover incômodos. Por isso, o Instituto Vital Brazil, laboratório solene do governo do Rio de Janeiro, recomenda que, em caso de acidente envolvendo esses animais, o melhor a fazer é manter o sítio da picada o mais limpo provável e procurar orientação médica.

Porquê evitar que as lacraias apareçam dentro de lar?

Para evitar o emergência desses animais dentro de lar, o Instituto Vital Brazil dá algumas dicas:

  • Limpar os ralos e mantê-los fechados quando não estiverem sendo usados.
  • Limpar e fechar caixas de gordura e esgotos.
  • Manter os jardins limpos e distanciar as vegetais trepadeiras das casas.
  • Evitar usar porões ou armazéns uma vez que depósitos para objetos velhos.
  • Sempre fechar frestas em muros e calçamentos – as lacraias gostam de se esconder nesses lugares.
  • Importante lembrar: lacraias gostam de se esconder em lugares úmidos. Portanto, sempre é bom manter a lar arejada e seca.

Gostou desse teor? Portanto vai gostar destes também:

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo