Esportes

Análise: Hugo Neneca obriga Diego Alves a voltar ao Flamengo na melhor forma

A estreia do Flamengo na Copa do Brasil deu sequência a um trabalho em crescimento sob o comando de Domènec Torrent. Com uma equipe quase mista, colocando em prática novamente o rodízio de atletas, a equipe venceu com tranquilidade o jogo de ida das oitavas de final, contra o Athletico-PR.

A vitória de 1 a 0 só foi possível graças ao brilho do jovem Hugo Souza, o Neneca, que foi mantido no gol mesmo com a volta de Diego Alves, e pegou um pênalti de Walter. Antes, fez pelo menos duas defesas difíceis, uma delas chegou a pegar na trave.

Se o rodízio de Dome se prova eficiente entre as competições, no gol a situação é peculiar. Após dez jogos seguidos, e invicto, Hugo Souza vive grande momento enquanto Diego Alves retorna de lesão. A troca, que deve acontecer naturalmente caso o veterano renove seu contrato, não precisa de pressa.

– Temos que saber que o Diego está voltando aos treinamentos, estava machucado. Teve covid e agora está treinando. Já falamos com eles, mas o mais importante é estar focados no próximo jogo. Temos quatro goleiros bons e podem jogar todos – disse Dome.

O resultado desta quarta-feira dá a vantagem do empate na próxima quarta-feira, no Maracanã. Onde o Flamengo recebe o São Paulo no domingo, pelo Brasileiro. Sem poder contar com Arão e Thiago Maia, suspensos, Dome escalou a dupla de volantes na Arena da Baixada, e preservou o meio-campo Gérson.

Também alternou a dupla de defesa. Saíram Gustavo Henrique e Natan e entraram Noga e Léo Pereira. O Flamengo ainda não pode contar com Rodrigo Caio, lesionado, assim como Diego Ribas, Gabigol e Arrascaeta.

No ataque, o uruguaio foi novamente substituído por Vitinho, que jogou mais próximo a Pedro. Enquanto Bruno Henrique retornou após suspensão para alargar o time pela esquerda. Do lado direito, a dupla Isla e Éverton Ribeiro lembrou os bons tempos em que Rafinha ainda estava no clube.

Por ali, o chileno subiu com potência e precisão para assistir Pedro, em cruzamento preciso, no primeiro tempo. No rebote, Bruno Henrique marcou, e chegou a seu décimo quinto gol pelo clube na temporada.

A equipe como um todo se comportou dentro de um padrão, que começa a ser regular. Mesmo com as trocas, o Flamengo oscila menos. Em que pese a maratona de jogos em três competições.

No segundo tempo, a questão física se apresentou. O Flamengo tentou administrar o resultado, e os donos da casa aumentaram a intensidade. Com marcação pressão, o Athletico-PR induziu a defesa rubro-negro a erros na saída de bola. Em uma delas, Walter obrigou Hugo Souza a uma defesa espetacular.

Após quase perder Bruno Henrique por lesão, Dome trocou Filipe Luis por Renê e lançou o jovem Daniel Cabral no lugar de Vitinho. O lateral esquerdo entrou mal e cometeu pênalti minutos depois. Mas Walter não conseguiu superar Neneca, que caiu no canto certo e evitou o empate. A defesa fez do jovem de 21 anos um dos principais personagens do jogo, sobretudo pelo Flamengo ter relaxado na etapa final.

O goleiro ainda não perdeu com a camisa do Flamengo no time principal. Em conversas para renovar o contrato até 2025, ofuscou a volta de Diego Alves, que também negocia a ampliação do contrato, com fim em dezembro.

Como a diretoria ainda se recente de dar o aumento pedido por Diego Alves, as atuações de Hugo acabam ganhando importância. Assim como Pedro tomou o espaço de Gabigol, lesionado, Hugo obriga Diego Alves a voltar na melhor forma.

Fonte

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo