Esportes

Análise: Jogos com Vasco serão chance para Botafogo fazer ajustes necessários antes da Série B

O Botafogo vai fazera final da Taça Rio contra o Vasco. Não que a torcida tenha motivos para se empolgar, pois trata-se apenas de um torneio de consolação dentro do Carioca. Mas, ao menos, os alvinegros poderão usar os clássicos dos próximos dois fins de semana como preparação para a Serie B do Brasileiro. Afinal, a vitória sofrida por 1 a 0 sobre o Nova Iguaçu, neste domingo, mostrou que não faltam ajustes a serem feitos.

– Lógico que conquistar um título, independentemente de como for, é motivação a mais para nós. Vamos brigar por ele. Mas nosso foco é botar o Botafogo de volta na Série A – afirmou Pedro Castro.

O Botafogo encontrou um Nova Iguaçu que não parecia interessado em jogar bola. Com a vantagem do empate para chegar à final por ter tido melhor campanha na fase classificatória, o time da Baixada se fechou e praticamente abriu mão de atacar.

A última linha de marcação do Nova Iguaçu foi armada cinco homens. Mas, em determinados momentos, chegou a ser formada por seis ou até sete. Diante de uma barreira dessas, furar a retranca não foi tarefa fácil para os alvinegros.

Ainda assim, o time teve oportunidades. Numa delas, aos 15 da etapa inicial, Pedro Castro acertou o travessão. O volante, por sinal, soube usar bem sua facilidade para chegar na área como elemento supresa. Foi ele o melhor jogador do time neste domingo.

Os jogadores do Botafogo até tentaram usar os recursos que tinham à disposição. A facilidade para avançar pelos lados, os passes mais verticais e a ligação direta. Mas esbarravam no excesso de erros.

O ataque, bastante exigido neste jogo, deixou a desejar. Principalmente por causa de Matheus Nascimento. O time teve muita dificuldade de fazer a bola chegar até o garoto. Acabou saindo de campo apagado. E a equipe ficou sem uma opção mais centralizada. 

A entrada de Rafael Navarro no lugar de Romildo aumentou a ofensividade do time na etapa final. O atacante, por sinal, mostrou que merece ganhar mais chances. Inclusive como titular.

Com ele em campo, os alvinegros conseguiram ser mais objetivos na frente. O gol, que quase saiu quando Luis Henrique defendeu chute à queima-roupa de Ronald aos 18, finalmente veio aos 28. Dos pés justamente de Pedro Castro, que finalizou com muita categoria e pegou o goleiro do Nova Iguaçu adiantado.

O gol obrigou a equipe da Baixada a ser mais proativa. E a expulsão de Marcinho, aos 38, garantiu uma dose de drama na reta final. Nestes poucos minutos exigida, a defesa alvinegra passsou sufoco. Mas é preciso considerar que o time jogava com um a menos. Ao menos, seguraram a pressão.


Fonte

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Notamos que você usa um Adblock ativo!

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso site. Por favor, deslique seu Adblock para que possamos gerar receitas através dos anúncios. Não vai sair do seu bolso. ;)