Automóvel

[Avaliação] Mini Countryman S E ALL4 é como um iPhone em forma de SUV – Notícias


O Mini Countryman S E ALL4 chegou ao país no ano passado exibindo mudanças discretas no visual como novo conjunto ótico além de para-choques e lanternas. Na motorização a ficha técnica impressiona com seus 224cv combinando motor 1.5 turbo a gasolina e um propulsor elétrico. Desta vez testamos a novidade ao longo de 500km rodados combinando o motor abastecido na tomada com o propulsor a combustão além da proposta premium do pequeno crossover da Mini.



O Mini Countryman em sua proposta premium é como um iPhone: faz tudo que um celular comum também faz porém com alguns recursos a mais e uma preocupação estética latente. O Mini é exatamente isso. O design consagrado do crossover distribuído em seus 4,29m de comprimento, 2,67m de entre-eixos, 1,82m de largura e 1,65m de altura ainda impressiona pelo estilo. Farois arredondados com sistema matriz de LED e altura ajustável automaticamente, o ponto de carga localizado no para-lama dianteiro e outros detalhes como o emblema destacado dão as pistas de que se trata de um modelo tecnológico. 



E no dia a dia o Mini Countryman surpreende. Anda mais do que um Golf GTi com precisão ao volante, suspensão à medida e pouca altura em relação ao solo. Apesar disso ele é bem confortável e só arranca sorrisos a cada retomada. Na prática é possível dirigi-lo só com motor elétrico, combinando este com o propulsor a gasolina, somando os dois em força máxima e ainda configurá-lo para um desempenho mediano, esportivo ou frugal, chamado “Green”. 



O Mini Countryman tem uma solução mecânica bem interessante que estreou em 2020. O motor 1.5 turbo de 136cv dianteiro trabalha em sintonia perfeita com o elétrico 88cv e 16,8kgfm de torque controlado pelo câmbio Steptronico de seis marchas é mais que o suficiente sem falar na tração integral. Não quer emoção? É possível usá-lo somente no modo elétrico (pena que tenha só 57km de autonomia máxima) para pequenos deslocamentos.



No nosso teste, deixamos os deslocamentos curtos a cargo do propulsor elétrico que cumpre seu papel e fizemos o recarregamento na oficina Napa´s em São Bernardo do Campo (que dispõe de um eletroposto gratuito). No trânsito, o modo misto e na estrada a potência máxima. Durante o nosso teste alcançamos a média de 23km/litro no uso combinado o que é superior a vários veículos com o mesmo sistema de condução.



Por dentro o Mini tem muita personalidade a bordo com interior forrado em couro marrom claro e costuras cruzadas. As linhas arredondadas – como no iPhone – estão no console central, no encosto de cabeça e no painel digital que acompanha o ajuste de altura e profundidade do volante. O porta-malas é mais raso que os modelos a gasolina com 405 litros. Explico: o motor elétrico traseiro e as baterias acabam roubando um pouco do espaço. Nesta versão o ar condicionado é digital e a multimídia tem 8,8 polegadas com espelhamento sem fio conectada ao sistema de som Harman Kardon de 12 alto falantes.



Só elogios? Ao volante sim. Mas para a sua classe ficam faltanto itens como controle de cruzeiro adaptativo, coisa que alguns concorrentes na mesma faixa de preço ou mais baratos já trazem. É um detalhe. Mas também nenhum BMW X1 (que usa a mesma plataforma do Mini), Audi Q3, Volvo XC40 e o caro Mercedes GLA 200 terão a mesma personalidade e direção que o Countryman. E olha que ele custa salgados R$ 246,9 mil. Mas vale a diversão ao volante. 


Gostou do Countryman? Veja o vídeo completo da estreia do modelo no canal Autos TV que chegou a 100.000 inscritos no Youtube



Fonte

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo