Empreendedorismo

Carrefour reduz em 17% a tonelada de CO2 emitido na logística de transportes

O Grupo Carrefour está investindo em iniciativas para aumentar a eficiência em logística, na mudança da matriz energética da sua frota e em um programa de neutralização de carbono no Brasil. O objetivo é alinhar a operação à meta internacional da companhia de descarbonizar seus negócios e reduzir as emissões de CO2 dos produtos vendidos em suas lojas em 20 megatons até 2030.

Porquê resultado dessas medidas, comparando o primeiro semestre de 2020 com o de 2019, houve uma redução de 17% na tonelagem de CO2 emitido na distribuição de mercadorias.

A revisão de processos para aumentar a eficiência nos transportes proporcionou a redução da quilometragem rodada, o aumento do volume expedido por veículo e, consequentemente, um número menor de viagens. Em 2019, por exemplo, a rota São Paulo/Manaus começou a ser realizada via cabotagem, evitando-se 203 milénio Km rodados em estradas. Já na rota São Paulo/Pernambuco, foi adotado o Rodotrem – um veículo com maior capacidade de fardo.

Ajustes na logística, com a expedição direta entre Centros de Distribuição (CD) nos Estados de Pernambuco, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e para o Província Federalista, muito uma vez que a melhor ocupação e arranjo da fardo nos CDs, também implicaram em maior eficiência. A modificação no perfil dos veículos para abastecer a loja Pamplona, em São Paulo, é outro exemplo de aumento da produtividade. Em vez de empregar nove veículos de pequeno porte e um de grande porte, a operação passou a ser feita por cinco de porte grande e unicamente um de pequeno porte. Esse protótipo gerou maior aproveitamento dos transportes e, portanto, menos viagens.

Tecnologia amiga

A tecnologia também é uma aliada do Grupo Carrefour Brasil para a subtracção dos gases poluentes na operação. Para reduzir a submissão de energias fósseis, a companhia adotou o Gás Procedente Liquefeito (GNL). Dois caminhões ecológicos – que emitem 15% menos CO2 que a versão a diesel – estão circulando desde julho e atendem lojas da capital paulista e interno do Estado.

Neste mês, dois veículos 100% elétricos, equipados com uma bateria de 97 kWh, com 250km de autonomia e zero de poluição, começarão a rodar com a bandeira do Carrefour. Além de não emitirem CO2, também não provocam vibração ou ruídos, colaborando para redução da poluição sonora. O grupo também procura parcerias para a utilização de agrocombustíveis uma vez que o biometano, cuja redução de gases poluentes pode chegar a 90%, mas ainda não está disponível em larga graduação no mercado.

“O aumento de produtividade na logística é fundamental para reduzirmos a pegada de carbono de nossa operação e colaborarmos para sustar as mudanças climáticas”, avalia Lucio Vicente, head de Sustentabilidade do Grupo Carrefour Brasil. “A adoção de transportes com alimento opção e de outros modais uma vez que a cabotagem, que respeitem o meio envolvente, também é uma transformação que começamos a viabilizar”, completa.

Negócio mais virente

Outra frente para asseverar a sustentabilidade em logística é a neutralização de emissão de CO2. O grupo tem mitigado os gases de efeito estufa de sua operação, por meio de projetos ecossistêmicos que englobam reflorestamento e proteção da biodiversidade, piscicultura, apicultura e instrução ambiental. Exclusivamente no primeiro semestre de 2020, houve 100% de ressarcimento do CO2 emitido na operação de perecíveis de São Paulo, o equivalente a respeito de uma tonelada do gás.

“A meta é inferir de 30 a 40% de redução de emissões logísticas, unicamente com o sequestro de carbono”, informa Marcelo Lopes, Diretor Executivo de Supply Chain do Grupo Carrefour Brasil. “Em longo prazo, também planejamos ter infraestrutura para transformar resíduos de víveres das lojas em biomassa para combustível de nossa frota, o que seria um lucro também no paisagem da economia circundar”, antecipa.

Imagem: Reprodução

Fonte

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo