Empreendedorismo

Clube reúne especialistas em varejo e startups

Um clube criado em 2018 com um grupo pequeno de varejistas e de startups se transformou, dois anos depois, em um espaço de troca de ideias – e de formalização de negócios – para mais 350 executivos de todo o Brasil. Nesta pandemia, os encontros do RetailtechClub, idealizados para serem um via de contato entre empresários do varejo e inovações tecnológicas, viraram, também, momentos para se dividir informações e dores.

O clube é um iniciativa Gouvêa Tech, empresa que faz segmento da Gouvêa Ecosystem, referência em consultoria e perceptibilidade no mercado de varejo. Vinte e uma edições já foram realizadas. De março para cá, os eventos, que antes eram presenciais e exclusivos para participantes cadastrados, foram abertos em forma de webinar para todo o mercado.

A expectativa de Caio Camargo, sócio-fundador da Gouvêa Tech, é de que o número de participantes do RetailtechClub passe de1.000 em 2021. “No primórdio, a teoria era oferecer uma espécie de pós-graduação de inovação para o mercado. Na estação da geração, muitos varejistas tinham receio de se aproximar das startups, porque não conheciam. Hoje, nós já conseguimos, por meio de networking, gerar tanto negócios entre os varejistas e startups, quanto entre varejistas entre si”, relata.

Compartilhando as mesmas dores

Com dez lojas na cidade de Franca, interno de São Paulo, Eduardo Patrocínio, um dos donos da rede de supermercados Varejão Irmãos Patrocínio, é um dos integrantes do clube. O interesse inicial foi fazer networking, mas, para ele, o RetailtechClub acabou indo além.

“O teor é de qualidade, são muitos estudos e ideias, e os contatos que fazemos são muito bons. Mas também compartilhamos nossas dores. Apesar de atuarmos em um setor que não teve grandes problemas na pandemia, estar no grupo nessa tempo mais sátira trouxe tranquilidade. Todos falaram a mesma língua e se ajudaram, nem que seja psicologicamente, contando sobre a própria cidade e uma vez que estavam enfrentando o momento”, conta.

Na semana passada, por meio de um contato feito dentro do RetailtechClub, Eduardo Patrocínio visitou lojas de uma grande rede de hortifruti da capital paulista. “Uma vez que temos um foco grande em FLV [frutas, legumes e verduras], essa troca de experiências foi muito importante. A partir dali, já surgiu a teoria de um novo projeto e do início do retrofit das nossas lojas.”

Inovação para grandes e pequenos 

Outro integrante do clube é Fernando Lauria, CEO da Pricefy, plataforma especializada na automatização da produção de cartazes e etiquetas. Ele também dá destaque para o teor compartilhado e a possibilidade de aproximação com os varejistas proporcionada pelo clube.

“O mais interessante é compartilhar informações com os varejistas e ter espaço para ajudar a desenvolver o setor. Evidente que, por trás de tudo isso, existem a questão financeira e o networking. Tudo está misturado. Mas o maior propósito é dividir ideias, é levar inovação e fazer com que cada varejista, grande ou pequeno, veja que é verosímil evoluir.”

O alcance do clube, admitem os executivos, ficou maior depois que os encontros passaram a ser virtuais. Mas, além de exaltarem a qualidade do teor trocado, eles nutrem outra sensação geral: o libido de que os encontros presenciais voltem a ser realizados, mesmo que, inicialmente, em formato híbrido. “A veia varejista é de proximidade, de olho no olho”, diz Lauria.

Pelo menos por enquanto, porém, eles continuam sendo virtuais. O próximo webinar do RetailtechClub será realizado no dia 19 de novembro e terá a participação de Fátima Merlin, autora do livro “Shoppercracia”. Será o último de 2020. As inscrições, gratuitas, podem ser feitas no site do clube.

Imagem: Bigstock

Fonte

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo