Mundo

Covid-19. Médicos italianos pedem encerramento total do país

O presidente da Federação Nacional da Ordem dos Médicos italiana (FNOMCEO), Filippo Anelli, pediu ao Governo o encerramento total do país devido ao estado actual dos hospitais, que começam a colapsar com números elevados de doentes com coronavírus.

Anelli advertiu que “se são considerados os dados desta semana como uma tendência típica e se os projetcarmos sem prever maiores aumentos, a situação num mês será dramática, pelo que devemos recorrer de imediato a um encerramento total”: “Ou bloqueamos o vírus ou este vai-nos bloquear, porque estamos a ser avisados de que o sistema não aguenta e até as regiões agora amarelas estarão em breve nas mesmas condições que as áreas mais afectadas”, disse Anelli.

As regiões da Lombardia, Piemonte e Vale de Aosta (norte) e Calábria (sul) foram designadas pelo Governo como zonas vermelhas e colocadas sob um confinamento leve, com uma proibição de sair da região ou de casa excepto por razões de trabalho, compras, ou saúde ou emergência.

A Campânia, por sua vez, foi classificada como zona amarela e, como tal, não tem muitas restrições.

No entanto, alguns hospitais da região da Campânia pediram ajuda face à sua situação de emergência, com enormes filas de carros com doentes à espera de serem examinados: “Com a média actual, num mês vamos chegar a mais 10.000 mortes”, advertiu.

Já o assessor do ministério da Saúde para a pandemia, Walter Ricciardi, também disse ontem à noite num programa de televisão que “são necessárias intervenções absolutamente rápidas ou avizinha-se uma tragédia nacional”.

O Governo actualmente está a avaliar o risco em algumas regiões. A Campânia, Véneto e Toscana poderão ser consideradas como zonas laranja ou vermelha nas próximas horas.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo