Esportes

Entenda por que o Atlético-MG deveria liderar o Brasílico, segundo modelos estatísticos

Estatísticas pós-jogo não conseguem fechar as discussões sobre o desempenho dos times, em privativo no que diz saudação aos chutes a gol. O levantamento quantitativo não consegue, por exemplo, ordenar o transe, a verosimilhança de cada uma destas finalizações se transformar em gol, tampouco expulsar o debate: quem mereceu lucrar? Quem esteve mais perto da vitória?

Leia mais:Uma vez que fica o rodízio de Dome no Flamengo no mata-mata

As tentativas de aumentar dados qualitativos às estatísticas estão cada vez mais presentes em plataformas de estudo de desempenho, utilizadas por clubes e analistas de futebol. Uma dessas métricas é o Xg, ou expected goals (gols esperados, em português).

Levando em conta variáveis porquê localização do pontapé, uso do pé ou da cabeça e até a premência de o atacante driblar um oponente antes de chutar, a métrica avalia a verosimilhança de uma finalização virar gol. Plataformas de estudo de desempenho usam um banco de dados que compara situações similares ao longo de cinco anos, e atribuem a cada arremate um valor. Uma finalização que tem 10% de chance de virar gol terá valor 0,1; um pênalti, estimado porquê tendo 76% de chance de conversão, terá valor 0,76. Ao final do jogo, os valores atribuídos às finalizações são somados, resultando no Xg de cada time na partida.

Leia também:Opoente do Botafogo, Cuiabá desponta porquê exemplo de clube-empresa e mira Série A

Para a plataforma Wyscout, por exemplo, Pedro abriu o placar para o Flamengo contra o Internacional num lance de gol improvável: 6%, ou seja, uma finalização de valor 0,06 — o que realça sua qualidade técnica. No jogo, o volume ofensivo do Flamengo rendeu um Xg totalidade de 2,41 contra 1,25 do Internacional. A melhor chance não convertida foi de Vitinho que, para o Wyscout, tinha 49% de verosimilhança de fazer o gol posteriormente driblar Marcelo Lombada, aos 20 minutos do segundo tempo.

O método não elimina subjetividades, distorções ou discussões. É verosímil ter um Xg cumeeira num jogo acumulando muitas chances de baixa verosimilhança de gol. E pode-se estranhar avaliações feitas em algumas plataformas. Para o Wyscout, Abel Hernández tinha só 32% de verosimilhança de gol quando abriu o placar para o Inter domingo.

Ranking de expectativa de gols Foto: Editoria de Arte
Ranking de expectativa de gols Foto: Editoria de Arte

Mas o ranking de Xg amontoado dos 20 clubes no Campeonato Brasílico permite observar o volume ofensivo dos times que têm o melhor e pior aproveitamento de produção de ataques. Um dos casos mais notáveis é do Atlético-MG, que no sábado produziu 2,99 gols esperados contra 0,04 do Sport, mas o jogo foi 0 a 0 posteriormente 24 finalizações dos mineiros. Aos 12 minutos do segundo tempo, da pequena dimensão, Allan Franco parou no goleiro Luan Polli num lance com 62% de verosimilhança de gol.

O time de Jorge Sampaoli fez 31 gols no campeonato, embora tenha amontoado um Xg de 36,3. Ou seja, houve jogos em que produziu o bastante, mas não venceu. Mas o grande meandro do Brasílico é o Botafogo, o time de maior dificuldade para transformar em gol sua produção: marcou 17 vezes, mas tem um Xg amontoado de 25,27.

Já Fluminense é um dos times que fazem muito com pouco. A partir de um Xg de 21,31, exclusivamente o décimo do Brasílico, tem o quarto melhor ataque, com 28 gols.

O Xg permite dar um passo além: medir o chamado Xp, ou os pontos esperados no campeonato. Seu funcionamento é um pouco mais multíplice. A partir do Xg de cada time num jogo, um protótipo matemático simula milhares de jogos com estas características e determina a verosimilhança de a partida ter cada um dos três resultados possíveis. Tais probabilidades são convertidas numa conta que atribui a cada equipe um percentual dos três pontos em disputa no jogo.

Ranking de expectativa de pontos Foto: Editoria de Arte
Ranking de expectativa de pontos Foto: Editoria de Arte

Assim, é verosímil até montar uma “classificação paralela” do Brasílico a partir das chances de gol criadas e permitidas pelos times. Esta, sinal da boa produção ofensiva do time de Sampaoli, teria o Atlético-MG líder, com 33,7 — tem 32 no momento. Já o Fluminense, que tem 29 pontos no campeonato, tem Xp de 22,9 pontos. Já o Botafogo, que fez 19 pontos até cá, tem Xp de 23,1.

Fonte

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo