Automobilismo

F1 – Marko nega tentativa de “chantagear” Todt sobre os motores

Helmut Marko

Helmut Marko negou a acusação de Jean Todt de que está tentando “chantagear” o presidente da FIA com suas exigências em relação à decisão de motor da Red Bull para 2022.

A Red Bull está ameaçando abandonar a Fórmula 1 se não puder assumir o programa do motor Honda, insistindo que um congelamento do desenvolvimento em 2022 será necessário para isso.

“Eu respeito todas as opiniões e aplicações, mas não vou me permitir ser chantageado”, disse Todt à Auto Motor und Sport nesta semana.

Marko, o dirigente da Red Bull mais próximo do proprietário Dietrich Mateschitz, nega a acusação.

“Isso não é uma chantagem, é um fato”, declarou ele. “Se não houver uma paralisação do desenvolvimento, nós não podemos assumir o projeto da Honda. Com esses motores complexos, o desenvolvimento adicional não é possível sem um centro como Sakura. E os custos disso não são acessíveis”.

Segundo Marko, a Red Bull está altamente relutante em voltar a ser uma mera cliente de motor, com a Mercedes já tendo descartado um acordo para 2022.

“Nós teríamos de fechar um acordo com Ferrari ou Renault primeiro, o que parece simples, mas não é. Você pode imaginar o que aconteceria se nós batêssemos a equipe de fábrica com um motor Ferrari. E há essa nova confiança na Renault de que eles destruirão a competição com seu novo motor e o Sr. Alonso em 2022”.

“O regulamento exige tratamento igual, mas existem maneiras de criar diferenças. Se nós não chegarmos a um acordo, a saída é uma opção. Nós só mostramos a realidade”.

Por outro lado, ele explicou que lidar com os motores Honda com o desenvolvimento congelado em 2022 não teria custos “exorbitantemente” maiores do que os 15 milhões de euros para ser cliente.

Já ouviu o último Loucos por Automobilismo? Clique na imagem abaixo!

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.

Fonte

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo