Automobilismo

F1 – Red Bull apresentou outra “proposta indecente”

Horner, Binotto, Wolff Abiteboul

A Red Bull Racing parece desesperada procurando uma solução para a saída da Honda depois de 2021. A Mercedes inicialmente apoiou o plano de congelar os motores proposto pela equipe austríaca – já sabendo que Ferrari e Renault nunca concordariam – mas agora a Red Bull tem outra ideia indecente.

A Honda anunciou sua saída da Fórmula 1. Após 2021, o fabricante não fornecerá mais motores para a Red Bull. Sem outro fornecedor, a equipe seria obrigada a voltar para a Renault – como diz o regulamento -, da qual ambas as partes não são muito fãs.

A Renault e a Ferrari obviamente já descartaram a primeira ideia de congelar os motores, e os franceses fornecerão seus motores para a Red Bull a preço de tabela sem problema, apesar de Alonso certamente não gostar muito da ideia.

Mas a Red Bull insiste em dizer que gostaria de assumir o projeto da Fórmula 1 da Honda. Para satisfazer Ferrari e Renault (?), a Red Bull apresentou um novo plano, mas a Mercedes, através de Toto Wolff, já disse que esse novo plano é totalmente fora de cogitação.

A equipe de Max Verstappen propôs então que as UPs passem por um ‘Equilíbrio de Potência’, uma equalização. Isso significa que as equipes poderiam continuar trabalhando em seus motores, mas apenas até um determinado limite.

“Isso seria o começo do fim da Fórmula 1”, disse Wolff ao site alemão Motorsport Total.

“Isso não funciona em outras categorias e trazer algo assim para um esporte que sempre focou no desempenho, minaria completamente o DNA da Formula 1. Este é o momento em que todos temos que deixar essa questão de lado”, concluiu o austríaco.

Parece que a Red Bull terá que procurar outra solução mirabolante antes de finalmente mudar para as UPs da Renault.

Já ouviu o último Loucos por Automobilismo? Clique na imagem abaixo!

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.

Fonte

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo