Esportes

Federação desiste de levar jogos do Paulistão para outros estados e confirma paralisação 

A Federação Paulista de Futebol (FPF) e o clubes envolvidos no Paulistão decidiram por unanimidade, nesta segunda-feira, pela paralisação do Estadual ao longo da fase emergencial do combate à pandemia em São Paulo, que se estende até o dia 30 de março. 

A FPF ainda estudou a hipótese de sediar os jogos em outros estados. Mas o Rio negou qualquer possibilidade de o Maracanã receber alguma partida e Minas Gerais, que em um primeiro momento concordara, voltou atrás com o enrijecimento dos protocolos sanitários por parte do governo.

A partir dessa decisão, a retomada do campeonato fica marcada para quarta-feira, dia 31 de março, quando será disputada a oitava rodada. Em relação aos jogos que foram adiados — válidos pelas quinta, sexta e sétima rodadas —, a federação declarou que serão reagendados em um “momento oportuno”. A entidade, porém, promete que o encerramento continua confirmado para 23 de maio.

Leia também:Governo de SP suspende jogos de futebol no estado e Paulistão pode ser paralisado

“A FPF e os clubes, por meio de seus departamentos de Comunicação e Marketing, se reunirão com o propósito de intensificar as campanhas relativas aos cuidados de higiene, isolamento social e vacinação, visando amplificar as informações sobre medidas sanitárias de combate à pandemia”, declarou a federação por meio de uma nota. 

A possibilidade já era um tema na pauta do governador João Dória desde o último dia 9, quando o procurador-geral do Ministério Público de São Paulo (MP-SP), Mario Sarrubbo, recomendou publicamente a suspensão de jogos de futebol e de atividades religiosas coletivas. 

“À luz dos princípios da prevenção e precaução em matéria de saúde pública, (recomenda que Doria) tome as devidas providências para suspensão da realização de cultos, missas e demais atividades religiosas de caráter coletivo e de eventos esportivos de qualquer espécie, inclusive partidas de futebol, durante a fase vermelha do Plano São Paulo”, afirmou Sarrubbo em nota.


Fonte

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo