Esportes

Fluminense consegue liberação de voo fretado e viajará de volta ao Rio direto do Equador

O Fluminense, enfim, teve uma importante vitória para conseguir diminuir a série de voos nesta Libertadores. O Tricolor conseguiu a liberação para que o avião fretado — utilizado para levar a equipe a Barranquilla — busque a delegação em Guayaquil, no Equador. Com isso, diminuirá uma escala de quase 3h na volta ao Rio de Janeiro. Posteriormente, o clube confirmou a informação.

“O Fluminense não precisará retornar à Colômbia antes de voltar ao Brasil, após a partida contra o Junior Barranquilla (COL) que acontece no Estadio Monumental, em Guaiaquil, no Equador. Com o esforço da direção, e a colaboração da equipe da Gol, o avião fretado para fazer Rio-Barranquilla-Rio foi autorizado a buscar a delegação Tricolor em Guaiaquil e seguir para o Rio de Janeiro”, declarou o clube.

De acordo com as regras de combate à Covid-19 do Equador, uma aerenove só pode viajar no país se estiver indo ou vindo do mesmo destino. Como o Fluminense veio da Colômbia, não poderia ir direto para o Brasil. Mas após a liberação, a aeronave poderá viajar até Guayaquil para levar a equipe. 

A tendência é que o Fluminense embarque para o Rio nesta sexta-feira, tendo mais tempo para se preparar para a semifinal do Campeonato Carioca, diante da Portuguesa, no próximo domingo, no Maracanã.

Viagens do Fluminense Foto: Editoria de Arte

Nos últimos 11 dias, o Fluminense embarcou em seis aviões diferentes, uma média de quase um voo a cada dois dias. Tudo começou em 26 de abril, quando o tricolor embarcou para Bogotá para enfrentar o Santa Fe, mas a partida acabou remarcada para a cidade de Armênia, a 275 km da capital colombiana. Desta vez, o duelo diante do Junior mudou de Barranquilla para Guayaquil, o que obrigou o tricolor a encerrar mais 1.570 km de viagem e desgaste físico.

Se contra o Santa Fe um decreto proibiu jogos em Bogotá, em medida de combate ao aumento de casos da Covid-19, agora a troca foi motivada por protestos civis em várias cidades do país. A população foi às ruas para reclamar da reforma tributária e também da opressão policial contra os manifestantes. Ao menos 19 pessoas foram mortas em decorrência dos confrontos.


Fonte

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Notamos que você usa um Adblock ativo!

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso site. Por favor, deslique seu Adblock para que possamos gerar receitas através dos anúncios. Não vai sair do seu bolso. ;)