Automobilismo

Internet cada vez mais veloz aumenta a coleta de dados das equipes e promete transformar a Fórmula 1

Equipe Mercedes – Fonte: Unsplash

A chegada da internet 5G em todo mundo, inclusive no Brasil, foi um dos principais assuntos discutidos em 2020. Com uma velocidade 20 vezes maior que a versão anterior, essa nova internet móvel promete causar impactos também na Fórmula 1. Toda essa velocidade faz com que os dados coletados de cada piloto cheguem aos analistas de maneira rápida e, por conta disso, as estratégias podem ser repensadas em tempo real.

Essa busca por um mundo cada vez mais conectado, principalmente com uma internet veloz e eficiente, está transformando diversos setores. O automobilismo não fica de fora disso, principalmente se olharmos para a Fórmula 1. Nos últimos anos, o desenvolvimento de novas tecnologias transformou por completo as corridas, fazendo com que sistemas como o DRS e o KERS ganhassem espaço até mesmo no regulamento.

Entretanto, uma internet cada vez mais veloz, como é a 5G, promete impactar diretamente na coleta de dados das equipes. Em uma entrevista realizada em 2019, o chefe de tecnologia da McLaren, Paul Spence, garantiu que o futuro da F1 vai mudar bastante com as conexões cada vez mais rápidas. A perspectiva de ter informações do comportamento do piloto, durante uma volta, e de forma instantânea, promete abrir um campo enorme de estratégias em tempo real.

Paul Spence afirma que uma das principais características dessas novas tecnologias de internet, principalmente a 5G, é permitir que dados sejam transmitidos de forma rápida mesmo em grandes distâncias. Isso significa que os dados coletados dos carros podem ser estudados por vários técnicos, e não apenas os que estão no boxe. Ou seja, seria possível trabalhar ainda mais no desempenho dos pilotos durante as corridas, e não apenas nos treinos. Uma mudança que pode impactar totalmente a F1.

Fórmula 1 2.0

Desde a chegada da Liberty Media, a F1 começou a ser repensada para acompanhar as mudanças que acontecem ao redor do planeta. Além de maior presença nas redes sociais, a atual dona também busca fazer com que a maior modalidade de automobilismo do mundo também seja a mais conectada. Novamente, a internet tem um papel fundamental nisso, e que inovações como a 5G podem impactar positivamente.

Estamos falando do torneio de eSports da modalidade, que acontece desde 2017 e é considerado um sucesso de audiência e participação. Neste ano, a F1 Esports Pro Series contou com 10 equipes e 20 participantes. O piloto virtual Jarno Opmeer, que compete pela Red Bull Racing eSports, é um dos destaques dessa temporada, que se encerra no dia 17 de dezembro com a corrida virtual acontecendo no GP de Interlagos, em São Paulo.

Uma internet cada vez mais eficiente faz com que mais pessoas busquem uma oportunidade de correr na F1 virtual. Isso significa cada vez mais fãs da modalidade e, consequentemente, uma audiência maior nas etapas dos próximos anos. A Liberty sabe que isso é importante e, por conta disso, tem investido bastante para que a competição de eSports consiga se estabelecer cada vez mais no cenário.

Mais fãs online

Não é apenas a Liberty Media e a Fórmula 1 que vão se beneficiar com uma conexão mais rápida. Na verdade, a internet está recheada de conteúdos direcionados aos fãs da modalidade e que podem ganhar cada vez mais espaço. É o caso, por exemplo, do canal no YouTube chamado de Jelle’s Marble Runs, que realiza corridas de bola de gude inspiradas na F1 e que, recentemente, ganhou um patrocínio da Fórmula E. Até mesmo os sites de apostas buscam inspiração nas corridas, como é caso dos jogos Good to Go e Grand Prix, que são slot machines grátis para os fãs de F1 e que gostam de apostar nas caça-niqueis virtuais. As plataformas de streaming também entram nessa lista, com canais como o DAZN Brasil conseguindo se beneficiar com transmissões de melhor qualidades em corridas da Fórmula Indy.

Enquanto isso, no mundo das duas rodas, a MotoGP parece mais do que pronta para receber usuários com conexões melhores. Atualmente, a modalidade conta com uma assinatura chamada VideoPass, onde os usuários podem acompanhar, sempre via streaming, corridas, testes e toda a cobertura da temporada. Uma internet 5G deve fazer com que a plataforma cresça ainda mais, para a alegria dos fãs e também dos organizadores.

Assim, o impacto das novas tecnologias deve atingir a Fórmula 1 em cheio e transformar as corridas, mesmo que nos detalhes. A coleta de dados é algo que mudou por completo a modalidade, e ver isso ficando cada vez mais inovador significa que os carros vão ultrapassar limites que nunca foram pensados. Melhor para os fãs, que podem acompanhar pilotos e equipes buscando tirar mais quase 100% na pista.

Já ouviu o último Loucos por Automobilismo? Clique na imagem abaixo!

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.

Fonte

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo