Automóvel

Jeep Compass Trailhawk conta com motor de 170 cavalos e parte de R$ 223.790 – MinutoMotor

Será que o Toyota Corolla Cross e o Volkswagen Taos serão adversários a altura do Jeep Compass no segmento de utilitários esportivos médios? Como ninguém quer perder o reinado, a marca prepara novidades para o Compass em sua linha 2022, que será apresentada ainda este ano. Além de um “facelift” em todas as versões, as configurações flex receberão o aguardado motor 1.3 GSE turbo fabricado em Betim, que deve beirar os 180 cavalos e aposentará o 2.0 Tigershark flex com até 166 cavalos, que é importado dos Estados Unidos. Nas versões a diesel, será mantido o atual 2.0 Multijet, acoplado à caixa automática de 9 marchas. É o mesmo “powertrain” que equipa a configuração “radical” Trailhawk. Que não é a mais vendida do Compass, mas a que melhor explora os aspectos aspiracionais que levaram a Jeep à liderança do segmento.

O Compass Trailhawk, alvo desta avaliação, é bem equipado. Traz chave presencial, ar-condicionado dual zone, bancos em couro, elétrico para o motorista (com oito posições), park assist, rack de teto com acabamento cromado, sensores crepuscular e de chuva, tela configurável de TFT de 7 polegadas no quadro de instrumentos, central multimídia com navegação GPS, Bluetooth e tela sensível ao toque com 8,4 polegadas, que transmite imagens da câmara de ré e oferece funções acionadas por comando de voz. Para reforçar a segurança, há controle eletrônico de estabilidade, sistema anticapotamento, monitoramento de pressão de pneus, assistente de partida em rampa, controle de velocidade de cruzeiro, sensor de ponto cego, freios a disco nas quatro rodas, três pontos de fixação de cadeiras infantis Isofix e direção de torque dinâmico, que auxilia o motorista a virar o volante corretamente em situações de perda de aderência. Além dos dois airbags frontais obrigatórios, a versão traz os de cortina, laterais e de joelhos para o motorista.

Experiência a bordo – Embora um pouco menor do que as dos utilitários esportivos médios concorrentes, a plataforma do SUV da Jeep proporciona uma boa sensação de espaço. Apesar do cardã do sistema 4×4, o túnel central não é dos mais elevados e deixa espaço para as pernas dos passageiros do banco de trás, que ainda dispõem de saídas de ar-condicionado e entradas USB. Os múltiplos porta-trecos otimizam os espaços a bordo – existe inclusive um discretíssimo nicho sob o banco do carona. E os 390 litros do porta-malas são coerentes com o segmento.

No habitáculo, predomina uma combinação de rusticidade e robustez, típica dos SUVs. Os revestimentos são quase todos de plástico rígido – poucos são emborrachados. Todavia, a montagem é precisa e todos aparentam qualidade. Detalhes em preto brilhante ao redor da tela multimídia, da manopla e das saídas de ar buscam conferir um aspecto requintado. Revestidos de couro, os bancos são confortáveis e o do motorista conta com práticos com ajustes elétricos – para o do carona, tal “mordomia” é um opcional que faz parte do Pack High Tech.

Impressões ao dirigir – O Compass Traihawk promete entregar um comportamento dócil de carro de passeio sem abandonar o estilo audaz e a capacidade off-road inerente a um Jeep. É uma promessa ousada. Para cumpri-la, o SUV médio conta com o motor 2.0 Multijet, que entrega 170 cavalos de potência e 35,7 kgfm de torque máximo. Como 80% desse torque está disponível já a partir dos 1.500 giros, não falta força para arrancadas e ultrapassagens – basta pisar no acelerador que o veículo ganha velocidade de forma progressiva e consistente. A exuberância do motor a diesel é aproveitada com eficiência pelo câmbio automático de 9 velocidades – um conjunto tão bem acertado que a Jeep irá mantê-lo na linha 2022.

No asfalto, o Compass tem um comportamento dinâmico similar ao de um sedã médio. A altura é elevada (21,8 centímetros de vão livre total), mas o veículo pouco aderna nas curvas. A suspensão reage com eficiência aos desníveis do solo e a direção elétrica é precisa e direta. A segurança é ampliada por sistemas como controle eletrônico de estabilidade, monitoramento de pressão de pneus, freios a disco nas quatro rodas e direção de torque dinâmico. Os opcionais de assistência ao motorista que fazem parte do Pack High Tech – piloto automático adaptativo, aviso de mudança de faixas, comutação automática de faróis e aviso de colisão frontal com frenagem de emergência – efetivamente ajudam a prevenir acidentes.

Nas trilhas, a suspensão independente nas quatro rodas equilibra os movimentos da carroceria e evita a transmissão de excessivos solavancos. Os bons ângulos de entrada e saída e os pneus de uso misto Pirelli Scorpion 225/60 R17 também favorecem os trajetos fora-de-estrada. Os modos de direção do sistema Selec-Terrain ajudam a encontrar a melhor dirigibilidade, seja em pista molhada ou outros pisos de baixa aderência, como areia, neve e lama. Há também o controle de descida, que permite encarar declives acentuados sem acionar o pedal do freio. O gerenciamento eletrônico da tração transfere a força entre os eixos, auxiliando o veículo a superar condições de piso adversas sem vacilação.

O Compass Trailhawk custa R$ 223.790. Não é por acaso que a versão corresponde a apenas 3% do mix do Compass. As pessoas até sonham com um Trailhawk, mas a maioria pondera que só usará o carro no asfalto e acaba levando para casa a versão Sport com motor 2.0 flex, que parte de R$ 136 mil. Dá para fazer muita coisa com os quase R$ 88 mil de diferença entre as versões mais barata e a mais cara do Compass – inclusive comprar também um Jeep Renegade STD flex, que parte de R$ 84.590.

Texto Luiz Humberto Monteiro Pereira / AutoMotrix
Fotos Luiza Kreitlon / AutoMotrix

Ficha técnica
Jeep Compass Trailhawk 2021

Motor: a diesel, dianteiro, transversal, 1.956 cm³, com quatro cilindros, quatro válvulas por cilindro e turbocompressor. Acelerador eletrônico e injeção direta de combustível
Transmissão: câmbio automático com 9 marchas à frente e uma a ré. Tração nas quatro rodas. Tem controle eletrônico de tração
Potência: 170 cavalos a 3.750 rpm
Torque: 35,7 kgfm a partir de 1.750 rpm
Diâmetro e curso: 83 mm x 90,4 mm. Taxa de compressão: 16,5:1
Suspensão: dianteira McPherson com rodas independentes, braços oscilantes inferiores com geometria triangular e barra estabilizadora. Traseira McPherson com rodas independentes, links transversais/laterais e barra estabilizadora. Oferece controle eletrônico de estabilidade
Freios: disco nas quatro rodas
Pneus: Pirelli Scorpion 225/60 R17.
Carroceria: crossover em monobloco com quatro portas e cinco lugares. Com 4,42 metros de comprimento, 1,82 metro de largura, 1,65 metro de altura e 2,64 metros de distância de entre-eixos. Oferece airbags frontais de série e laterais, de cortina e de joelhos para motorista como opcionais
Peso: 1.751 kg em ordem de marcha
Capacidade do porta-malas: 390 litros
Tanque de combustível: 60 litros
Produção: Goiana, em Pernambuco
Preço base da versão: R$ 211.990
Preço da versão avaliada, com o Pack High Tech e carroceria na cor Prata Billet: R$ 223.790


Fonte

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo