Vida e Estilo

Máscara para crianças durante a pandemia: veja o guia completo

Crianças devem usar máscara na pandemia? Esclareça todas as suas dúvidas sobre o uso desse acessório

No início da pandemia, o Ministério da Saúde recomendou o uso de máscaras por toda a população para proteção contra o novo coronavírus. A partir de então, esse acessório passou a fazer parte do cotidiano ao sair de casa, além de outros cuidados, como manter o distanciamento social e todo o protocolo de higiene. Com isso, muitos pais ficaram na dúvida sobre a utilização da máscara em crianças durante a pandemia.

O que foi decidido pela OMS (Organização Mundial de Saúde) é que usar essa proteção é dispensável para menores de dois anos, devido ao risco de sufocação e de prejudicar a respiração. A partir dessa idade, a criança pode usar a máscara com a supervisão de um adulto.

É muito importante que os pais entendam que não basta apenas a criança usar a máscara, sendo também fundamental saber outras informações, como o tipo de acessório recomendado, a maneira correta de colocar e retirar a máscara , o tempo de uso, etc. Assim, continue a leitura deste artigo e aprenda tudo o que você precisa a respeito!

Qual máscara a criança pode usar?

Com a necessidade de toda a população usar esse acessório ao sair de casa, a opção encontrada foi escolher entre as máscaras caseiras e as cirúrgicas. Com o tempo, as de tecido começaram a ser vendidas e adaptadas em tamanhos e estampas diferentes — inclusive com personagens de desenhos animados. Assim, você pode adquirir o modelo que melhor se adéqua ao tamanho e ao gosto do seu pequeno.

Porém, é importante que a máscara seja, antes de tudo, eficiente. O acessório deve conter, no mínimo, duas camadas de tecido e ser capaz de cobrir toda a boca e o nariz da criança. Como o rosto dela é pequeno, é preciso ter o cuidado para que a peça não fique larga, já que é fundamental que permaneça bem ajustada e sem sobras nas laterais. Também se deve verificar se ela está confortável para não incomodar ou machucar o rosto da criança.

O tecido deve ser composto totalmente ou predominantemente de algodão, para permitir a melhor respiração e evitar irritações na pele do pequeno. O TNT (tecido não tecido) também pode ser usado, contanto que seja um material próprio para o uso humano e não provoque alergias. De acordo com OMS, as máscaras faciais devem ter a seguinte composição:

  • 1 camada interna feita de algodão ou outro material absorvente;
  • 1 camada intermediária fabricada de material não tecido, como polipropileno;
  • 1 camada externa usando poliéster ou outro material não absorvente.

Sendo assim, desde que a máscara contenha todas essas exigências, você pode tanto comprar quanto fazer em casa, usando os materiais disponíveis. Lembrando de que o uso desse acessório é individual, e a criança também deve ser orientada a não compartilhar a máscara com ninguém, mesmo que esteja limpa.

Quanto tempo usar cada máscara?

Para garantir a segurança do uso da máscara pela criança, é fundamental respeitar o limite de tempo de uso. No caso das cirúrgicas, o tempo de duração é de apenas algumas horas. Quando ficam úmidas ou sujas, é o momento de descartá-las.

Quanto às máscaras caseiras, o indicado é  utiliza-las por até duas horas. Caso fiquem úmidas, a troca deve ser feita o mais breve possível. Porém, ao contrário das cirúrgicas, elas podem ser higienizadas e reutilizadas diversas vezes, até que seja notado o desgaste do material.

A criança não precisa fazer uso desse tipo de proteção quando estiver em um ambiente amplo e aberto, como no caso de parques ou outras áreas de lazer, desde que esteja distante de outras pessoas e não toque em nenhuma superfície. Em lugares onde há concentração de pessoas ou não seja possível manter a distância de, pelo menos, 2 metros, o uso da máscara é recomendado.

Entenda quando é preciso trocar a máscara

Shutterstock É fundamental respeitar o tempo de uso de cada máscara

É preciso levar mais de uma máscara ao sair?

Como falamos anteriormente, a máscara deve ser substituída após duas horas de uso. Quando o clima está quente, a necessidade de troca é ainda maior, devido ao suor em excesso, já que a máscara molhada dificulta a respiração e ainda favorece o desenvolvimento de germes.

Sendo assim, caso você saia com a família por mais tempo, sempre leve algumas máscaras extras. Além disso, é sempre bom prevenir mesmo quando não há a intenção de demorar, já que é possível que algum imprevisto aconteça.

No caso de qualquer danificação, a substituição por outra máscara limpa deve ser feita imediatamente. Isso também deve ocorrer se o acessório cair no chão enquanto estiver sendo usado, o que é muito comum devido à agitação natural dos pequenos. Dependendo da idade da criança, procure ensiná-la a nunca tossir ou espirrar nas mãos, mas, sim, num lenço de papel ou na parte superior do braço.

Como pode ser complicado para a criança se adaptar ao uso da máscara, principalmente se for pequena, o mais recomendado é evitar sair de casa. Caso seja mesmo preciso, o melhor é ser breve para que ela mantenha a máscara  no rosto, durante todo o tempo necessário.

Como colocar e retirar a máscara corretamente?

Tão importante quanto usar a máscara é saber como colocá-la e retirá-la de forma correta, para não haver o risco de contágio pelo vírus. Como já comentamos anteriormente, o tempo de uso máximo recomendado é de até duas horas. Assim, é inevitável fazer a substituição em algumas situações, para garantir a segurança adequada.

No caso das crianças menores, é imprescindível que todo o manuseio do acessório na hora da troca seja feito pelos pais. Isso vai permitir que a substituição seja feita com total segurança para o pequeno.

A seguir, confira o passo a passo de como fazer o uso e a substituição do acessório:

  1. as mãos devem estar limpas e higienizadas com água e sabão, ou álcool em gel 70°, antes de tocar na máscara;
  2. verifique se a máscara está limpa e se não há nenhum rasgo ou qualquer dano;
  3. evite tocar a frente da máscara durante o manuseio;
  4. cubra o nariz e a boca da criança com o acessório e, em seguida, use os elásticos nas laterais atrás das orelhas;
  5. verifique se não há espaços sobrando nas laterais, tomando a precaução de manter o acessório justo no rosto e sempre com atenção para que o conforto da respiração seja mantido;
  6. oriente a criança a não tocar a máscara, nem para ajustá-la, e, caso isso aconteça, higienize as mãos dela;
  7. ao remover a máscara, segure apenas nas alças laterais;
  8. após retirar o acessório, dobre-o ao meio, deixando a parte de fora voltada para o lado de dentro;
  9. para evitar que entre em contato com outros objetos que estiver carregando ou que estejam dentro da bolsa, ela deve ser guardada em um saco plástico ou um envelope de papel;
  10. lembre-se de que a máscara deve ser armazenada de forma individual.

Tenha sempre em mente que, ao usar a máscara, o acessório automaticamente é considerado contaminado. Por esse motivo, é preciso ter todo o cuidado no momento de retirar e fazer a substituição, transformando todo o passo a passo em uma rotina. Após retirar a máscara, higienize bem as mãos e deixe o acessório armazenado isoladamente até o momento da lavagem.

Na hora de lavar a máscara de tecido, use sabão ou detergente e água em abundância, preferencialmente quente. Ou, então, deixe o item de molho por meia hora em uma solução feita usando uma colher de sopa de água sanitária em 500 ml de água.

Se for lavar na máquina, configure para a opção mais quente para o tipo de tecido da máscara. Antes de usar novamente, a máscara deve estar completamente limpa. Se preferir, use o ferro de passar nos dois lados e guarde-a em um saco plástico limpo.

Crianças e bebês com deficiência podem usar?

O uso de máscara por crianças e bebês que apresentam algum tipo de deficiência ou transtorno de desenvolvimento é considerado opcional, já que pode comprometer de alguma forma o seu desenvolvimento e criar barreiras na aprendizagem. Sendo assim, a utilização da máscara será possível apenas quando a criança responde positivamente e a aceita. Em algumas situações, a de tecido pode ser substituída pelo uso de um escudo facial.

Crianças com Deficiência Intelectual, Transtorno do Espectro Autista (TEA) ou outros tipos de transtornos comportamentais, por exemplo, podem demonstrar-se mais resistentes ao uso de máscaras. No primeiro caso, a máscara pode tornar-se prejudicial ao desenvolvimento por conta da desatenção da criança. Já no segundo caso, as dificuldades sensoriais e de movimento impedem que ela seja usada, pois será, inevitavelmente, removida pela própria criança.

Outros tipos de deficiências também impedem o uso de máscara, como é o caso da paralisia cerebral, já que pode comprometer a respiração. Se o pequeno se enquadra no grupo de risco, por apresentar algum problema de saúde, a recomendação é que ele utilize a máscara ao sair de casa. Além disso, é importante que seja ainda mais reforçada do que a de tecido comum, como é o caso das máscaras N95.

É fundamental ressaltar que a máscara não deve ser utilizada por ninguém que não seja capaz de remover o acessório sem ajuda, por conta do risco de sufocamento. Como as crianças menores de dois anos têm as vias aéreas pequenas, o item pode dificultar entrada do ar.

Além disso, os bebês tendem a salivar bastante, o que compromete a respiração, principalmente no caso de uma obstrução nasal. Assim, se houver a necessidade de sair de casa, o mais indicado é que a criança seja transportada no carrinho e coberta com uma proteção de tecido limpo ou de plástico.

Quando a criança não aceita a máscara, o escudo facial pode ser uma alternativa

Shutterstock Em alguns casos, é melhor substituir a máscara pelo escudo facial

O que fazer se a criança tiver medo?

Se a máscara causa incômodo e precisou de um período de adaptação para os adultos, o que dirá para as crianças. As principais queixas em relação ao uso do acessório são a dificuldade de respirar e de se comunicar, bem como o calor. Essa nova realidade, onde o uso da máscara passou a fazer parte do dia a dia, pode ser uma situação angustiante para os pequenos. Sendo assim, confira as dicas sobre como lidar no caso de medo e insegurança da criança.

Converse

Antes de tudo, é fundamental que os pais tenham paciência e conversem com a criança, explicando o motivo de precisar usar a máscara. Utilize uma linguagem que seja compatível com a idade dela, ensinado que, apesar de o uso não ser algo divertido, vai ajudar a proteger ela e outras pessoas de adoecerem.

Aproveite e tire todas as dúvidas que o pequeno tiver sobre o uso do acessório e outras atitudes em relação à higiene e aos protocolos de segurança, como lavar as mãos e manter o distanciamento social. Além disso, deixe claro que você está sempre disponível, caso ele tenha alguma pergunta ou preocupação.

Dê o exemplo

As crianças aprendem muito pelo exemplo e tendem a imitar o que os adultos fazem. Sendo assim, coloque o acessório dentro de casa algumas vezes com naturalidade para que ela possa acostumar-se melhor e entender como é o uso da máscara na prática. Se o exemplo for dado com alegria e de maneira lúdica, melhor será o resultado. Uma dica é fazer jogos para adivinhar a expressão por trás da máscara ou mostrar fotos de amigos e familiares usando máscaras.

Os pais devem ser um exemplo para a criança, sempre usando máscara

Shutterstock O exemplo dos pais é fundamental para motivar as crianças na hora de usar a máscara

Tenha máscaras personalizadas

Caso seja possível, faça uma decoração personalizada na máscara, usando estampas coloridas, por exemplo. Você também pode comprar as de tecido que são feitas especialmente para deixar esse momento mais suave para as crianças, com imagens de super-heróis, animais ou outro personagem que ela goste.

A máscara se tornou um acessório indispensável para enfrentar a pandemia de Covid-19, que abalou todo o mundo. Assim como os adultos, as crianças também precisaram adaptar-se ao uso dela. Além disso, é primordial que os pais tenham um cuidado redobrado em relação aos pequenos e sigam todas as instruções sobre o uso da máscara para garantir a segurança das crianças e, também, do restante da família.

Se você achou que a leitura deste artigo foi útil para esclarecer suas dúvidas, aproveite para curtir a nossa página no Facebook e ficar sempre por dentro das novidades.

Nos conte o que você acha!

Fonte

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Notamos que você usa um Adblock ativo!

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso site. Por favor, deslique seu Adblock para que possamos gerar receitas através dos anúncios. Não vai sair do seu bolso. ;)