Mundo

Portugal em estado de emergência. Recolher obrigatório em 70 por cento do país

Portugal voltou esta segunda-feira a adoptar o estado de emergência, o nível máximo de alerta, devido ao rápido crescimento da pandemia do novo coronavírus, que se tenta travar com um recolher obrigatório que entra também em vigor esta segunda-feira para 70 por cento da população, incluindo a que reside em Lisboa e no Porto.

O estado de emergência que arrancou hoje é menos restritivo que o que esteve em vigor entre 19 de Março e 2 de Maio, durante a primeira vaga, segundo explicou o Governo, que defende que a medida lhe dá um suporte legal para poder ir tomando decisões rápidas e de forma gradual.

Uma delas é impor o recolher obrigatório para os 121 municípios que desde a última quarta-feira estão em confinamento parcial devido à sua elevada incidência de Covid, com 240 casos por cada 100.000 habitantes.

Estes 121 municípios reúnem 70 por cento da população portuguesa e incluem as maiores cidades do país, Lisboa e Porto.

Nestas zonas, nas quais existe o “dever cívico” de permanecer em casa se não é essencial sair, com escolas, comércio, restauração e até centros culturais abertos, haverá recolher obrigatório entre as 23h00 e as 05h00 de segunda a sexta-feira.

Já durante os dois próximos fins de semana, o recolher obrigatório é estendido, vigorando das 13h00 até às 05h00 do dia seguinte, com várias excepções como ir trabalhar, ao médico, à farmácia, assistir um familiar doente, passear animais de estimação ou dar um “passeio higiénico” perto de casa.

Não são contempladas multas para quem não cumpra estas medidas e a polícia vai-se limitar a acompanhar a casa a quem não justificar a sua presença na rua durante o recolher obrigatório.

Um dos sectores mais afectados será o comércio, que deverá fechar durante o recolher obrigatório do fim de semana, e os restaurantes, que apenas poderão realizar o serviço de “take away” até às 13h00, para depois poder apenas fazer entregas ao domicílio.

A situação será reavaliada na próxima quinta-feira, 12 de Novembro, e, segundo o Governo, poderão ser aplicadas medidas diferentes em algumas zonas que possam ser mais restritivas.

Enquanto isso, o estado de emergência vai estar em vigor até 23 de Novembro, embora esteja prevista uma extensão caso os contágios continuem a aumentar.

O país voltou a marcar este fim de semana um recorde de contágios diários, com 6.640 positivos notificados no último sábado, dia em que também se voltou a registar um máximo de falecidos num único dia: 59 pessoas.

Com uma população de pouco mais de 10 milhões de habitantes, Portugal regista 179.324 casos e 2.896 falecidos por coronavírus desde o início da pandemia.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo