Automobilismo

Red Bull de hoje muito melhor que McLaren de ontem

Checo Perez – Red Bull 2021

Sergio Perez começou a fazer sua história nos Touros ao vencer o GP do Azerbaijão no último domingo ao conquistar sua primeira vitória na Red Bull. O pai de Perez ficou muito orgulhoso e também revelou que guarda um pequeno desprezo pela McLaren, a equipe onde o piloto, agora com 31 anos, guiou em 2013.

De acordo com Antonio Perez Garibay, surpreendentemente a pressão para um bom desempenho era muito maior em Woking. “Se você me perguntar em que eauipe o Checo teve mais pressão, foi na McLaren, quando ele tinha um carro que não era competitivo e eles queriam resultado. Na Red Bull é o contrário, eles também querem resultado, mas lhe dão armas para seguir em frente.”

Perez assinou um contrato de vários anos em 2013 para substituir Lewis Hamilton na McLaren. Mas, naquele momento, o carro não era bom o suficiente para disputar pódios. Isso não era desculpa, entretanto, que Perez foi demitido sem cerimônia um ano depois.

O pai de Perez observa que Perez se sente confortável na Red Bull e que está se acostumando com o novo ambiente. “Vejo um Checo muito mais tranquilo, que entende o carro, um Checo que sabe o que está fazendo”, disse ele ao jornal espanhol Marca.

É fácil entender como Perez está se sentindo nos Touros depois de algumas de suas últimas declarações:

Sobre Verstappen e z explosão dos pneus: “O que Verstappen fez em Baku foi ótimo de ver. Ele merecia a vitória e fez uma corrida perfeita. Foi principalmente um grande azar que ele teve. Esta foi a sua vitória”

Ele também elogiou Alexander Albon, seu antecessor e agora piloto de testes da Red Bull. “Ele trabalha muito no simulador. Você não esperaria que ele fosse tão aberto comigo. Ele me ajudou no início, explicando os problemas que teve com o equipamento e como o carro funciona. Foi muito bom ouvir isso dele e trabalhar com ele desde o primeiro dia. Todas as pessoas juntas tornaram possível que estejamos onde estamos agora”, disse o mexicano.

Uma vez que Max abandonou, Perez estava repentinamente em P1. Na relargada, ele sabia que Hamilton estaria por dentro.

“Eu tinha tudo a perder lá. Faltavam apenas duas voltas para o fim, eu estava na pole, então só podíamos perder aquela corrida. Tentei fazer uma largada perfeita, mas de alguma forma não deu certo. Foi sorte em retrospecto, porque Hamilton teve problemas com os freios.”

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.




Fonte

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Notamos que você usa um Adblock ativo!

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso site. Por favor, deslique seu Adblock para que possamos gerar receitas através dos anúncios. Não vai sair do seu bolso. ;)