Cinema

Série russa Cidade dos Mortos adapta best-seller sobre epidemia


Cidade dos Mortos já é um dos grandes lançamentos da Netflix de outubro. A série russa chegou à plataforma de streaming neste mês e tem gerado algumas comparações com a veras atual. 

Assim com a pandemia de coronavírus, a trama traz um vírus transmissível. A doença se espalha por Moscou, o que cria um debate dos efeitos sociais de uma situação uma vez que essa, que leva os seres humanos ao seus limites. 

Saiba mais sobre Cidade dos Mortos:

Best-seller

A série é baseada no best-seller de Yana Vagner. O livro foi publicado pela primeira vez em 2016 e mostra uma epidemia de gripe na Rússia que mata milhares de pessoas. 

A trama é focada nas duas famílias de Sergei, a da sua atual esposa e a da ex. Ele é odiado pela sua antiga companheira, mas a crise no país obriga todos a se juntarem. O objetivo deles é se refugiarem em um sítio solitário no setentrião do país, supostamente mais seguro. 

Epidemia

Apesar de ser focada na território russo, a série revela a reação da humanidade ao colapso de uma epidemia. Os desafios enfrentados vão desde a falta de eletricidade até a disputa por comida. 

Por ser lançada em plena pandemia de coronavírus, as comparações com a situação atual do planeta são inevitáveis. Porém, vale ressaltar que estamos diante de um teor ficcional. Outrossim, o projeto é um thriller, portanto tem a função de deixar o testemunha tenso nos seus propósitos narrativos. 

Elenco e produção

Sergei é interpretado por Kirill Käro, sabido pelo filme O Esgrimista. O elenco também conta com nomes uma vez que Maryana Spivak (Yesterday) e Viktoriya Isakova (Anna Karenina – A História De Vronsky).

A direção de Cidade dos Mortos foi ocupada por Pavel Kostomarov, cineasta que veio dos documentários. 

Episódios

A primeira temporada da série está disponível na Netflix e tem oito episódios. Cada capítulo dura, aproximadamente, entre 45 e 55 minutos. 

 

Nesta material você leu sobre: Yesterday, Anna Karenina – A História De Vronsky.

Veja também: 

Coronavírus: Comparamos pandemias da ficção com a veras

Adaptações no cinema: livros, videogames, quadrinhos e animações

Fonte

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo