Séries

Todas as séries canceladas pela Netflix em 2020

Antes famosa por “não cancelar zero”, a Netflix veio mudando essa notabilidade de “salvadora das séries” nos últimos anos, pouco a pouco, e trazendo com isso alguns traumas para os fãs de suas produções. O que começou com o ladeirento e questionado cancelamento de ‘Sense8’ evoluiu e, em 2020, tomou proporções ainda maiores depois a pandemia do Covid-19. 

As dificuldades de produzir durante a pandemia, que vieram com o aumento de custos com procedimentos de segurança e inevitáveis atrasos de lançamento, contribuíram para o grande número de séries canceladas neste ano pela gigante do streaming — mas esse não foi o único motivo. Confira a lista das produções que a companhia decidiu fechar em 2020, até o momento. 

SPINNING OUT

A série de patinação olímpica criada por Samantha Stratton e protagonizada por Kaya Scodelario estreou em janeiro, contando a história de Kat Baker (Scodelario), a jovem ginasta tentando balancear a profissão, família e romances com sua saúde mental fragilizada. Prestes a desistir das competições depois um acidente, ela recebe uma segunda chance ao lado de Justin (Evan Roderick). O cancelamento foi anunciado depois uma recepção morna da sátira, com a temporada acumulando 59% de aprovação no Rotten Tomatoes. 

AJ AND THE QUEEN

Dramédia protagonizada e criada por RuPaul, a série girou em torno de Ruby, uma drag queen que cruza o caminho de uma órfã de 10 anos, AJ. Juntas, elas viajam de cidade em cidade com uma mensagem de paixão e legalização. O cancelamento foi anunciado por RuPaul em suas redes sociais.

CHILLING ADVENTURES OF SABRINA

Muito se discutiu sobre o termo de ‘O Mundo Sombrio de Sabrina’, até porque o cancelamento foi anunciado antes da temporada final ir ao ar. Isso dá a entender que a história será finalizada e encerrada conforme a vontade dos criadores, mas não é o caso — a notícia veio depois a temporada ter sido filmada, e pegou o pai, Roberto Aguirre-Sacasa, de surpresa.

Aproveite para observar:

SAMANTHA!

Um resultado brasileiríssimo da Netflix, a série de comédia protagonizada por Emanuelle Araújo e Douglas Silva acompanhou durante duas temporadas a jornada de Samantha!, uma ex-estrela mirim com seus dois filhos e o marido, um jogador de futebol que acabou de ser solto da cárcere. A história trata dos bastidores da TV brasileira nos anos 90 e dos traumas infantis carregados para a vida adulta, com bom humor e sagacidade. Faz falta.

Ninguém tá Olhando

A série de Daniel Rezende chegou até mesmo a ser indicada ao Emmy Internacional, infelizmente depois o cancelamento da Netflix. Protagonizada por Kéfera Buchmann e Vitor Lamoglia, com Julia Rabello no elenco, a série acompanhou a história de um criancinha do sistema Angellus que descobre que, mesmo se ele não seguir as normas impostas, não existe uma punição. Com esse viés niilista, a série brinca com conceitos filosóficos e questionamentos existencialistas.

Insatiable

Rodeada de polêmicas desde o início, ‘Insatiable’ de alguma forma chegou a duas temporadas, mas não passou disso. Protagonizada por Debby Ryan, a comédia contou a história de Patty, que sofreu bullying durante anos por ser gorda, e procura vingança depois de ter emagrecido. Acusada de gordofobia e de um humor depreciativo, a série não ganhou a sátira.

V Wars

A teoria de uma série de vampiros protagonizada por Ian Somerhalder parece boa, notório? Não em 2020. O ator de ‘The Vampire Diaries’ interpretou o Dr. Luther Swann, um observador que “entra em um mundo de terror e mistério quando uma doença transforma seu melhor camarada em um predador que se alimenta de outros humanos”. Você chegou a observar?

MESSIAH

A série acompanhou a agente da CIA Eva Geller (Michelle Monaghan), que descobre a história de um varão ganhando atenção internacional por “atos disruptivos”. Ele continua a reunir seguidores afirmando operar milagres, e a mídia se torna cada vez mais atraída pela figura. Apesar de uma recepção mista da sátira, a série ganhou bastante atenção nas redes sociais, e fontes ligadas à Variety afirmam que a gigante do streaming não estava confortável para continuar a série durante a pandemia, já que as filmagens envolviam várias locações internacionais.

The Society

Um dos casos de “desrenovação”, ‘The Society’ já havia sido confirmada para a 2ª temporada, e a Netflix voltou detrás às vésperas de quando as filmagens deveriam ser retomadas, justamente por razão do Covid-19. As cenas envolveriam multidões e os procedimentos de segurança encareceriam demais a produção. Aliás, ela deveria ser filmada no verão, o que seria inviável em 2020. 

I AM NOT OKAY WITH THIS

Mais uma “desrenovação”, ‘I Am Not Okay With This’ foi protagonizada por Sophia Lillis e Wyatt Olef (‘It – A Coisa’), e teve a renovação desfeita mesmo com os roteiros da temporada já finalizados. O motivo também foi o aumento dos custos em decorrência da pandemia do Covid-19.

GLOW

Outra vítima da pandemia, a série de Alison Brie que tratava do universo de luta livre de mulheres iria para a temporada final — e o primeiro incidente até já havia sido gravado antes de as filmagens serem interrompidas em março deste ano. Em seguida julgar os gastos, que crescem pelo vestuário de GLOW envolver muito contato físico, a Netflix decidiu que o público ficaria sem um fecho para esta ótima série. 

TEENAGE BOUNTY HUNTERS

Ela ainda não havia sido renovada, mas também podemos colocar o cancelamento na conta do vírus. A série contou a história de duas irmãs gêmeas que sem querer acabam virando caçadoras de recompensas e precisam enganar os pais, manter uma vida geral de adolescentes do ensino médio e conquistar foragidos. 

AWAY

Sabe a série espacial de Hilary Swank? A Netflix decidiu pelo cancelamento pouco mais de um mês depois de tê-la lançado. Apesar de a série ter translato muito entre o top 10 dos mais assistidos e do Nielsen Ratings, era uma produção da Universal TV e isso a deixava mais face. Aliás, não teve uma boa recepção junto à sátira. 

SOUNDTRACK

Drama músico, a série era definida porquê “um olhar para as histórias de paixão que conectam grupos diferentes na Los Angeles atual”. A série não conseguiu encontrar uma boa audiência ou paixão da sátira, e foi cancelada em janeiro deste ano.

Morel

Série francesa da Netflix, ‘Mortel’ girou em torno de três adolescentes, dois dos quais adquiriram superpoderes, lidando com o sobrenatural para resolver um assassínio.

Osmosis

Outra série francesa, esta era uma ficção científica ambientada na Paris do porvir, em que um aplicativo de relacionamento consegue fazer download das informações do cérebro do usuário para encontrar o match perfeito.

Turn Up Charlie

Idris Elba atacou de DJ, mas não rolou. A série que acompanhou o planeta de Hollywood porquê um DJ que vira babá não agradou muito e a Netflix decidiu não trazê-la de volta.

ALTERED CARBON

Em seguida o lançamento da 2ª temporada da série, em fevereiro, a Netflix decidiu cancelar o drama cyberpunk, não por razão do Covid-19, mas por razão dos custos que não compensavam a audiência.

The Dark Crystal: Age of Resistance

Apesar de ter vencido um prêmio nas categorias técnicas do Emmy, The Dark Crystal: Age of the Resistance foi cancelada também pelos altos custos e baixa audiência.

Patriot Act with Hasan Minhaj

O talk show, que chegou a render polêmicas depois que Minhaj criticou o governo da Arábia Saudita pelo assassínio do jornalista Jamal Khashoggi, foi cancelado depois de 39 episódios também pelas contas que não fechavam a saudação de custos de produção x audiência.

Marianne

2020 não está sendo fácil para ninguém, e as séries francesas da Netflix estão tendo um ano particularmente complicado, já que todas foram canceladas. Marianne era uma empreitada de terror sobre uma escritora que volta para a cidade natal e descobre que o espírito que assombra seus sonhos existe e está lá. 

Não deixe de observar:

SE INSCREVA NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE

Fonte

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo